terça-feira, janeiro 27, 2009

Dia 24 - "Torres del Paine - Silêncio no Glaciar"

Último dia no Parque. E talvez o momento mais sublime. Ladeando aquelas montanhas estava um braço de gelo chamado Glaciar Grey.

No sul do Chile os cumes dos Andes raramente atingem os 4000. Mas esta altitude, combinada com o vento frio de sul e a próximidade com Antártica, mantém desde a última glaciação uma enorme massa de gelo com 500 km de comprimento e 80 de largura, o Campo de Gelo Sul. O gelo chega a ter 2000 metros de altura, e este campo cria o seu próprio clima, a temperatura à superfície é sempre negativa. Desta forma a neve vai mantendo aquela que é a terceira reserva de água doce no mundo, atrás do gelo Antártico e do Ártico. Uma outra curiosidade: é um dos últimos feitos em falta para os mais aventureiros, ainda ninguém o atravessou completamente e diz-se que é virtualmente impossivel devido ás fendas profundas. O Glaciar Grey com 24 km de comprimento, 5 km de largura e até 1000 metros de altura, é apenas uma franja lateral desta grande massa.

É mais uma dura caminhada de 4 horas desde o refúgio onde dormi até ao Mirador Grey. O gelo para mim era como um organismo vivo com os seus avanço e recuos lentos e imperceptíveis. Fiquei todo o resto de tarde a admirar aquele organismo, com o seu silêncio sepulcral, e os enormes icebergues que adquiriam mil e uma formas, como o corpo da ex-namorada. Começava a sentir falta dela, da família, dos amigos que estavam no mesmo continente, mas provavelmente não muito perto.

A solidão foi um meio para socializar. E a música ("Clair de Lune", Debussy) acompanhou-me até ao por do sol.

Placa Refugio Grey

Refúgio Grey, na companhia de amigos chilenos.

grey 3

grey 2

Não foi fácil descobrir o corpo da ex-namorada no meio de tantos blocos, mas a saudade avivou a imaginação. Grey na companhia de Chilenos.

grey

grey eu
O Grey tem 24 km comprimento 4 km largura, e 70 metros de altura no bordo e até 1000 metros de profundidade no início. Na foto parece pequeno.

Bandeira
Bandeira do Chile e a bandeira da República Independentista de Magalhães. A região caminha para a automia plena. Mas o governo central ainda apresenta algumas resistências. A sociedade política em Santiago é anti federalista.

2 comentários:

Paulo disse...

Mais vale só do que mal acompanhado, na natureza encontramos o recordações do passado e a visão de um futuro sempre incerto.
Mas é no dia a dia que temos nos encontramos

Ian Yurisch disse...

eeeeeeeeeeeeeeee qe pasa compañero!! de aca desde pta arenas te escribo! me acorde de tu pagina y la visite! veo nuestra foto junto a la peqeña bandera qe salio de mi chaqeta..esta demás decir qe fue un gusto haber compartido con ud!

jorge nuestros nombres en orden con respecto a la foto son, Nicolas Avendaño, Luis Felipe Sepulveda e Ian Yurisch.

un abrazo a la distancia y espero qe hayas tenido un buen retorno...

cuidece

chau